Proposta de Plano Diretor para uma PPP no Parque Ibirapuera, terysos do brasil junto a FGV (2018, finalmente não entregue)

Ibirapuera é um parque de referência não só para a cidade de São Paulo, ou para o estado, ou para o Brasil, mas também para toda América e sobre tudo a escala, poderíamos dizer, global, do planeta por seu caráter referencial. Por isso, nossa proposta de modelagem do conjunto do Parque tem que ser ousada, inovadora e sustentável. Baseados no reconhecimento do papel ecológico e cultural quisemos propor uma gestão do século XXI que se apoiava em quatro pilares fundamentais.

•Visão estratégica a escala de governança: estamos propondo um modelo donde a gestão compartilhe-se com a participação da prefeitura, de concessionários dos serviços agregados e das OSCIP (sociedade civil), num modelo de participação e gestão tripartite, mas solvente, eficiente e eficaz.

•Visão estratégica a escala urbana: estamos propondo um Plano Diretor como marco das ações e das propostas arquitetônicas, urbanísticas e paisagísticas desde uma perspectiva não só urbana, mas também metropolitana.

•Visão estratégica a escala patrimonial: inclui a identificação não só do Patrimônio Cultural, mas também do Patrimônio Natural, e do patrimônio imaterial e uma revisão dos elementos componentes desde uma perspectiva histórica, e urbanística, do parque, que tentamos resgatar para enriquecimento da cidade e da oferta cultural e ambiental do mesmo.

•Visão estratégica a escala Economicamente Sustentável: definindo cenários que só poderão ser desenvolvidos quando os anteriores sejam atingidos (3 fases). Uma modelagem flexível, ambiciosa, mas também utópica, sem barreiras, nem limites.